Prática de capoeira e jiu-jitsu nas escolas é tratada em Pls

por Luana Lobato Raddatz publicado 11/12/2019 11h03, última modificação 11/12/2019 11h03
Na reunião do dia 10 de dezembro de 2019 foram apresentados projetos de Lei que buscam instituir o reconhecimento do caráter educacional e formativo da capoeira e do jiu-jitsu como atividade extracurricular.

       As matérias de autoria do vereador Fernando Bermúdez (P) serão encaminhadas para análise das Comissões Técnicas da Câmara Municipal de Uruguaiana.

       As proposições preveem os esportes como manifestações culturais e esportivas e dispõe sobre a celebração de parcerias para o seu ensino nos estabelecimentos de educação básica, públicos do município. De acordo com os Pls, o ensino deverá ser integrado ao conteúdo programático da escola, como atividade extracurricular, como forma a promover o desenvolvimento físico e cultural dos alunos.

      “Inúmeros são os benefícios, por que sabemos que quanto mais atividades extracurriculares ofertadas, menos tempo os alunos terão para estarem dispersos com outras que possam prejudicá-los”, contextualizou o parlamentar.

      O vereador destaca sobre a capoeira como uma das manifestações mais expressivas da cultura brasileira. “De origem no nosso Brasil, a arte da capoeira é praticada em outros países, entretanto há muito a fazer para difundí-la, com qualidade e orientação pedagógica”, afirmou Balaka.

         Sobre a prática do jiu-jitsu, arte marcial de origem japonesa, destaca-se os benefícios ao equilíbrio mental, à interação social e à saúde física, aumentando a coordenação motora e o controle muscular.