Doação de órgãos em destaque na Câmara

       O espaço da tribuna livre desta quinta-feira, dia 24 de outubro de 2019, foi utilizado para esclarecimentos e informações sobre captação de órgãos e tecidos para transplante realizada em Uruguaiana. Por indicação do vereador Irani Fernandes (P), explanou sobre o assunto o responsável técnico pela Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplante (Cihdott) da Santa Casa de Caridade, médico pneumologista Luiz Fernando Ximenes Cibin.

       A Comissão oficializada este ano trabalha no protocolo para captação de órgãos de doadores com diagnóstico de morte encefálica, ou seja, com perda irreversível das funções cerebrais. “Reconhecido o possível doador e após realizada uma entrevista com a família sobre a intenção e sua manifestação pela doação, a Comissão comunica a Central de Órgãos do Estado e uma equipe de Porto Alegre vem para fazer a captação”, esclareceu.

        Na oportunidade, o médico também expôs que o Estado vem mantendo uma média de mil pacientes à espera de um rim, 80 à espera de um pulmão, 130 à espera de um fígado. Em média 180 pessoas aguardam um transplante de medula óssea. “O número de doações no estado está bem aquém da necessidade. Os meses de junho e julho registraram 28 doações efetivas cada um e, em maio, foram 15 doações. Em Uruguaiana, desde que a comissão foi instalada, em 2014, houve 15 protocolos de doação que resultaram em captação de órgãos, tendo sido captados 28 órgãos”, pontuou Cibin.

         O profissional ainda destacou que 40% dos protocolos são encerrados diante da negativa familiar para doação. Nesse sentido, reforçou a necessidade daqueles que são doadores manifestarem o interesse aos familiares a vontade.

Adicionar Comentário

Você pode adicionar um comentário preenchendo o formulário a seguir. Campo de texto simples. Endereços web e e-mail são transformados em links clicáveis. Os comentários são moderados