Ações de prevenção ao suicídio são destaque em audiência pública

por Luana Lobato Raddatz publicado 24/09/2019 13h15, última modificação 24/09/2019 13h15

        A Câmara Municipal de Uruguaiana realizou audiência pública na segunda-feira, dia 23 de setembro de 2019, para proporcionar o debate e os encaminhamentos para prevenção ao suicídio e automutilação. Foram proponentes do evento os vereadores Mano Gás e Neraí Kaufmann, e acompanharam os trabalhos a presidente do Legislativo, Zulma Ancinello e vereadores Irani Fernandes, Carlos Delgado e Suzana Alves.

         Diversos profissionais fizeram uso da palavra expondo dados, causas e ações definidas pelas instituições para acolhimento de potenciais suicidas. O coordenador do Centro de Valorização da Vida (CVV) em Uruguaiana, Jader Santos, tratou do necessário apoio emocional dado pelo CVV que disponibiliza atendimento gratuito, através do voluntariado. “90% dos quadros de suicídio poderiam ser evitados se houvesse conversa aberta, amiga, compreensiva, respeitando o momento vivido pelo ser, proporcionando momento de desabafo pleno”, salientou citando a Organização Mundial da Saúde.

           A psiquiatra, Raquel Forgiarini Saldanha, destacou o espaço da audiência pública como fundamental para colher frutos positivos à prevenção e ao tratamento. “A pessoa doente precisa do olhar de saúde, com profissionais capacitados ligados ao primeiro atendimento, à primeira escuta e à identificação do risco de suicídio”, explanou.

        A diretora do serviço de saúde mental, Maria da Graça Schmitt, falou sobre a recomendação profissional da resiliência que é a capacidade humana de superar as adversidades em momentos difíceis e transformá-los em oportunidade para crescer e fortalecer. Do Corpo de Bombeiros, Jerley Lucena, falou do socorro, resgate e atenção às famílias.

          O Secretário Municipal de Saúde, Celso Duarte, relatou o incremento nos últimos anos de profissionais como psiquiatras, antes não contratados, e aumento de três para oito psicólogos que realizam aproximadamente 1200 atendimentos mensais.

            Manifestaram-se também as autoridades eclesiásticas da Igreja Evangélica Bola de Neve, Pastor Edson Luz e o da Diocese, Padre Jonison Mallmann.

              No encerramento dos trabalhos foi definido o pleito por mais profissionais, leitos psiquiátricos e aumento dos atendimentos em rede, entre outros.